Globalconstrói
banner AEG728x90
GlobalConstrói - O Portal da Construção

Resultados 4411 - 4420 de 5140

Notícias/Últimas
Author:ana cristina
F.A.M.A lança Web Site A empresa F.A.M.A, é uma fábrica de móveis direccionada para a concepção de cozinhas, de roupeiros, de sistemas multipainel, de expositores, balcões, portas e muito mais. A empresa é caracterizada por possuir soluções modernas, práticas e de qualidade superior para possibilitar uma escolha com o design perfeito. A empresa F.A.M.A solicitou os serviços da GlobalConstrói, tendo sido o departamento de Design e Publicidade do Portal GlobalConstrói - a Indesign - Web and Graphics Design, a desenvolver o Layout e consequente página de Internet. (carregue na imagem para visualizar o site)
Terça, 29 Dezembro 2009 | 866 hits | Versão para impressão | PDF |  Email
Notícias/Últimas
Author:ana cristina
Requalificação - demolições na praia de Monte Gordo Além da nova imagem, o concurso público agora lançado pela autarquia vilarrealense para a requalificação da marginal de Monte Gordo vai cumprir as orientações do Plano de Ordenamento da Orla Costeira (POOC), à semelhança do que aconteceu na praia da Manta Rota e irá ocorrer na globalidade das ilhas-barreira da Ria Formosa. O mesmo será dizer que a operação vai abrir portas à demolição das dezenas de apoios de praia e restaurantes, cujas estruturas – em muitos casos de alvenaria – estão assentes em pleno areal da praia de Monte Gordo. Outro dos assuntos que poderá levantar contestação é o facto de o POOC apenas contemplar oito a nove apoios de praia para toda a zona balnear de Monte Gordo, um número considerado «manifestamente insuficiente» por Luís Gomes, dada elevada afluência de turistas durante a época de Verão. Filipe Antunes Font: Barlavento Online
Terça, 29 Dezembro 2009 | 692 hits | Versão para impressão | PDF |  Email
Notícias/Últimas
Author:ana cristina
Angola - Empreendimento com tecnologia de Ponta Nova infra-estrutura foi erguida por trabalhadores chineses e angolanos em dezoito meses de árduo trabalho As obras de construção do estádio internacional da Tundavala foram executadas num período de 18 meses, pela construtora chinesa Sinohydro Coorporation e fiscalizada pela empresa Nuclear. Os trabalhos envolveram 381 trabalhadores chineses e 102 angolanos, auxiliados por equipamentos de ponta de construção civil. O engenheiro da Nuclear, Valter Serra, da área de fiscalização, explicou ao pormenor as acções efectuadas na construção do estádio. “Os trabalhos de execução da obra foram feitos dia e de noite. Ela nunca parou. Apenas os técnicos rendiam-se para recompor as energias e aguardar pela hora de retomar as actividades”, disse o engenheiro, satisfeito pela missão cumprida. A estrutura consumiu 29 mil metros cúbicos de betão, 1.700 toneladas de ferro, cinco mil de aço, 14.576 metros quadrados de cobertura de chapas de zinco. O edifício possui rés-do-chão, quatro armazéns, um ginásio, elevadores, mais de 20 casas de banho, oito gabinetes, sala de reuniões, sala de telecomunicações, sala de ventilação, três postos médicos, quatro balneários para jogadores, quatro salas de treinos, duas dos árbitros, uma para controlo anti-doping. A entrada VIP possui duas salas de espera, três elevadores, um restaurante, duas escadas de acesso às bancadas e camarotes. A actividade da imprensa é assegurada por uma sala para jornalistas, sala para conferências de imprensa, contagem de vídeos, duas salas de logística da CAF, dois gabinetes de TV e três armazéns. O primeiro andar tem seis postos de vendas, duas entradas de acesso ao público, dez bancadas com 5.750 lugares e um posto de primeiros socorros. Tem igualmente um camarote presidencial com bancadas para 260 pessoas, cinco camarotes para 119 comentadores. O estádio consume mais de três mil kws de energia para suportar a iluminação interna, externa, sistema de ar condicionado, aparelhos informáticos, telas gigantes e outros equipamentos. Estão instalados no seu interior 408 holofotes, com capacidade de dois mil watts, 68 holofotes de mil watts para iluminação nocturna. Alimenta o sistema eléctrico a rede de energia pública com 15 mil kws e uma fonte alternativa, composta por quatro grupos geradores com a potência de 3.600 Kva. O abastecimento de água é assegurado por quatro furos artesianos, com capacidade de 21 metros cúbicos por hora. Existem também dois tanques para reservar 928 metros cúbicos. Foram plantados 660 quilos de relva no rectângulo de jogo. A empresa inglesa SIS cuidou com rigor o processo, e hoje está pronta para os jogos do grupo D. No interior e no exterior do Estádio Internacional da Tundavala estão instaladas 98 câmaras destinadas à captação de imagens que vão servir para a segurança durante a realização dos jogos. As câmaras estão ligadas a 21 monitores, distribuídos por vários partes do edifício, que são supervisionados por agentes da Polícia Nacional e agentes de segurança treinados para o efeito. Fotografia: Mota Ambrósio Font: Jornal de Angola
Terça, 29 Dezembro 2009 | 763 hits | Versão para impressão | PDF |  Email
Notícias/Últimas
Author:ana cristina
Brasil - Falta de mão de Obra para a Construção A mão de obra qualificada para a construção civil em 2010 deve ser escassa, segundo estudo elaborado pela Fundação Getúlio Vargas a pedido da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat). O mesmo problema foi enfrentado no cenário posterior a crise econômica mundial. As informações são do jornal Folha de S.Paulo desta terça-feira. Segundo o levantamento, 180 mil trabalhadores devem ser contratados no próximo ano, aumento de 8% na oferta. O setor deve fechar o ano com 2,35 milhões de trabalhadores contratados com carteira assinada, e prevê crescimento de 8,8% para 2010. "Pelo ritmo de recuperação da cadeia da construção civil, esse problema da falta de mão de obra qualificada será enfrentado novamente em 2010", disse o professor da FGV Fernando Garcia. Font: Invertia (terra)
Terça, 29 Dezembro 2009 | 623 hits | Versão para impressão | PDF |  Email
Notícias/Últimas
Author:ana cristina
Construção Civil nos Açores Com vista à retoma - Obras públicas essenciais na construção civil O presidente da Associação dos Industriais de Construção e Obras Públicas dos Açores (AICOPA) condicionou ontem a retoma no sector à entrada em obra de novos empreendimentos da responsabilidade da administração regional e das autarquias das ilhas. Albano Furtado, reeleito terça-feira para um novo mandato de três anos sublinhou que a construção civil tem sido uma das actividade económicas mais afectados pela crise nos Açores, indicando que no espaço de um ano se perderam no sector na Região cerca de três mil postos de trabalho. Além de se depararem com a quebra na encomenda de obras, os empresários da construção civil açoriana confrontam-se com a acumulação de dívidas por parte das autarquias - num montante estimado em 25 milhões de euros em Março passado - e com dificuldades de acesso a empréstimos bancários, adiantou à agência Lusa o presidente da AICOPA. Albano Furtado referiu que os novos dirigentes vão propor ao Governo Regional medidas para combater "a crise que se instalou", defendendo, nomeadamente o mais rápido possível as obras públicas com cabimentação orçamental. Segundo acrescentou a dinamização das obras públicas num mercado como o açoriano, marcado pela actividade de pequenas empresas, é essencial também como instrumento de confiança para relançamento dos empreendimentos da iniciativa privada. Às eleições que determinaram a recondução da direcção liderada por Albano Furtado apresentaram-se duas candidaturas, tendo a vencedora recebido 58 por cento dos votos. Font: Jornal - A União
Terça, 29 Dezembro 2009 | 699 hits | Versão para impressão | PDF |  Email
Notícias/Últimas
Author:ana cristina
Nova Imagem-SuperVidros Completados “30 ANOS” de actividade, a empresa SuperVidros continua disposta a melhorar, não só a imagem, mas e principalmente a qualidade dos serviços prestados. Reflexo disso é o web site que no final do ano de 2009 ficou online, e onde poderá encontrar todas as informações essênciais da empresa, bem como produtos, serviços e alguns trabalhos.
Terça, 22 Dezembro 2009 | 720 hits | Versão para impressão | PDF |  Email
Notícias/Últimas
Author:ana cristina
Importância da reabilitação urbana na CMP "Reabilitação é, hoje em dia, uma palavra-chave na política do Porto", afirmou Rui Rio no final da sessão de encerramento do seminário sobre "Gestão Urbana de Uma Cidade Património Mundial", que decorreu esta sexta-feira no Centro de Congressos do Edifício da Alfândega e na qual participaram, também, o presidente do CA da Porto Vivo, SRU , Arlindo Cunha, e o ex-presidente do IGESPAR e actual Secretário de Estado da Cultura, Elísio Summavielle. Na óptica do Presidente da Câmara Municipal do Porto, "para a recuperação económica de Portugal o investimento na reabilitação urbana, do ponto de vista público, é mais importante e eficaz do que as obras faraónicas que estão pensadas fazer-se", declarou o autarca numa alusão à construção do novo Aeroporto e ao TGV. Quanto ao trabalho que tem vindo a ser realizado na requalificação dos bairros sociais, onde habita cerca de 20% da população do Porto, Rui Rio assume-o como uma prioridade, não só em nome da justiça social, como também em termos de melhoria da segurança urbana. "Se um bairro se degrada e se torna num guetto , o problema deixa de ficar confinado a esse bairro e irradia para toda a cidade e até mesmo para a Área Metropolitana", explicou, recordando que essa matéria representa uma fatia orçamental na ordem dos 60 a 70%. "Imagine-se o que não teria de potencial o orçamento da CMP se não tivesse de ser aplicado tanto dinheiro na recuperação da habitação social no Porto", observou. O seminário, promovido pela CMP e pela Porto Vivo , foi realizado no âmbito da candidatura ao QREN "Valorização e Gestão do Centro Histórico do Porto Património Mundial", justamente na véspera de se assinalarem os 13 anos sobre essa classificação atribuída pela UNESCO. Font: CMP
Terça, 22 Dezembro 2009 | 791 hits | Versão para impressão | PDF |  Email
Notícias/Últimas
Author:ana cristina
Projecto subterrâneo na colina do castelo A proposta do holandês pretende ser uma solução urbanística para o acesso da Baixa ao castelo Um arquitecto holandês propôs à Câmara de Lisboa a construção de uma grande praça subterrânea e de elevadores em fossos escavados na rocha, no interior da colina do Castelo de S. Jorge, em Lisboa, como solução urbanística para o acesso da Baixa ao monumento. Numa publicação que entregou por sua iniciativa na autarquia lisboeta, e a que a agência noticiosa Lusa teve acesso, o arquitecto de 86 anos Lieuwe Op"t Land, radicado em Portugal, defende a construção de um átrio subterrâneo ao nível da Baixa, por baixo do castelo, comunicando com este através de elevadores. Além da construção de um grande átrio no interior da colina, encimado por uma cúpula de 20 mil metros quadrados de área, o arquitecto sugere que a rocha seja perfurada com furos verticais para aí serem montados vários elevadores, não só para visitantes e habitantes como também para o transporte de mercadorias. Lieuwe Op"t Land propõe que este átrio seja "um local de encontro e de convívio social", com uma estação de metro, lojas e restaurantes em redor dos acessos aos elevadores. E planeou um túnel para o ligar ao Martim Moniz, com entrada pelo antigo Salão Lisboa. O projecto prevê a retirada de um milhão de metros cúbicos de terra da colina. O arquitecto, que reside na Ericeira, faz depender a viabilidade desta ideia de estudos geológicos destinados a determinar se existem condições de segurança, nomeadamente em termos de solidez da rocha, que permitam executar a obra. Mas considera esta uma solução arquitectónica exequível, graças às técnicas modernas da engenharia. Por decorrerem no subolo, estas obras não iriam trazer transtornos para os moradores nem fechar temporariamente o castelo, argumenta. A Câmara de Lisboa confirmou ontem ter recebido a sugestão de Lieuwe Op"t Land, mas esclareceu desde logo que não a aproveitará. Quer pelos custos e pelos riscos a ela associados, quer porque está a preparar uma outra solução que passa pela colocação de escadas rolantes e elevadores dentro de dois edifícios já existentes, um prédio na Rua dos Fanqueiros e o mercado do Chão de Loureiro. A obra não ficará pronta antes do final de 2010. Font: Público
Terça, 22 Dezembro 2009 | 749 hits | Versão para impressão | PDF |  Email
Notícias/Últimas
Author:ana cristina
Ar Fresco lança o seu Novo Site. A empresa Ar Fresco, com mais de 30 anos de experiência no mercado, possui uma equipa de profissionais experientes no fabrico e construção de tectos ventilados, comercializando e instalando também, tectos falsos, para a área da hotelaria e hospitais. A empresa Ar fresco solicitou os serviços da GlobalConstrói, tendo sido o departamento de Design e Publicidade do Portal GlobalConstrói - a Indesign - Web and Graphics Design, Lda, a desenvolver o Layout e consequente página de Internet.
Terça, 22 Dezembro 2009 | 720 hits | Versão para impressão | PDF |  Email
Notícias/Últimas
Author:ana cristina
GlammFire irá estar presente em diversas feiras Internacionais: MAISON & OBJET Paris - Nord Villepinte France   Stand nº 32| Ala D | Hall 5A   22/01/2010 > 26/01/2010   www.maison-objet.com       AMBIENTE 2010 Messe Frankfurt Exhibition GmbH Ludwig - Erhard - Anlage 1  60327 Frankfurt am Main   Pav. 9.0 - Interiors & Decoration | Stand C86   12/02/2010 > 16/02/2010
Quarta, 16 Dezembro 2009 | 1322 hits | Versão para impressão | PDF |  Email

Powered by AlphaContent 4.0.0 © 2008-2014 - All rights reserved